17 de julho de 2017

Invisível


Você está ali.
Todos os dias, você está ali.
Você faz o que tem que ser feito.
Você apoia, você está presente.
Mas o outro não te vê.
Não te considera, não te respeita, te ignora.
Não te dá um abraço, um beijo, não conversa, não te dá atenção.
Não promove uma proximidade.
Fotos, muitas, com todos. Menos com você.
Enfim, você finalmente se pergunta:
O que estou fazendo ao lado dessa pessoa que me ignora por completo?
Parece que a pessoa faz um sacrifício para estar ao seu lado.
Nunca está. Inventa tudo para não estar ao seu lado.
Até que um dia, você acorda. Você é desnecessário ali.
Seu coração é bom. Mas não para mim. Eu sou como um nada.
Você cansa do descaso.
Então, busca outras formas de ver e viver a vida.
Você percebe que nem tudo é o fim, e tem pessoas que te valorizam pelo que é. Pessoas que te tratam bem.
Um amigo, um parente, um irmão.
E basta seguir adiante, e ver que existe vida depois do caos.


12 de julho de 2017

Intenção


Movimentos


 

Quero muito entender os movimentos
Palavras
Ausências
Um instante e vou ao céu
No outro fico sem chão
Não sei decifrar  conjeturas
Já disse tantas coisas
Já quis muito
Estou perdida...
Se mostrar o caminho... fica mais fácil
Não sei adivinhar,  não consigo traduzir.
Hoje conheço apenas meus sentimentos.
Será que eu não entendi alguma parte da história?
Não sei de quem  fala.
Não leio recados
E se o que aconteceu foi irreal,
E se apenas imaginei,
guardo apenas os sonhos, 
E, enfim, acordei.



Códigos




Meu desejo dissonante
que tais códigos
Demandem por mim.
Você encerra segredos e infinitos,
Composições dos meus conflitos.
Êxtase circunflexo
Que me descaminha
Por um estado perplexo
Apalpa meus porões absurdos
E meus desígnios diatônicos
Eu estou aqui
Me embriagando dos seus tons
Me nutrindo das suas notas e sons
Cada vez mais adentrando sua dicotomia
Ingressando em sua paragem
Como se cada mensagem
Estivesse pactuada aos meus devaneios.
Me encontro só.
Paralisada pela sua beleza
Engessada pela sua gentileza
Aglutinada à intenção de te interpretar,
Num tropeço implacável com vírgulas e interrogações.
(Carmen Eugenio)

5 de julho de 2017

Travessia




A travessia  às vezes é demorada.
Você vai se despedindo, 
relutante em aceitar o fim.
Esse desprendimento acontece aos poucos.
O desejo se despede.
Não se tem mais o abraço.
E as conversas dão lugar ao silêncio.
A distância vai aumentando.
A proximidade diminuindo.
Os mundos tornam-se desconhecidos.
A indiferença se instala.
Até o dia em que os laços, tornam-se fios quase transparentes.
E as pessoas permanecem sem mais estar.
E então, chega a hora de partir e
agradecer por ter vivido a experiência de compartilhar.






4 de julho de 2017

Eu mesma


Amo achar algo engraçado
Convivo com o pouco explicado
Esqueço mal-entendidos.
Enxergo meu reflexo.
Coexisto com o sem-nexo.
Gosto de olhar para o mar, para o céu.
Tenho uma bicicleta, 
livros, 
sonhos 
e um violão.
Conheço estradas e solidão.
Carrego vontades e sei sorrir.
Tenho saudades de algumas coisas.
Uma delas é conversar sem tempo prá terminar.
Sinto com coração.
E se outro dia se transformar em muitas horas
Posso ouvir sua respiração.

Invisível

Você está ali. Todos os dias, você está ali. Você faz o que tem que ser feito. Você apoia, você está presente. Mas o outro não t...