Códigos


Meu desejo dissonante
que tais códigos
Demandem por mim.
Você encerra segredos e infinitos,
Composições dos meus conflitos.
Êxtase circunflexo
Que me descaminha
Por um estado perplexo
Apalpa meus porões absurdos
E meus desígnios diatônicos
Eu estou aqui
Me embriagando dos seus tons
Me nutrindo das suas notas e sons
Cada vez mais adentrando sua dicotomia
Ingressando em sua paragem
Como se cada mensagem
Estivesse pactuada aos meus devaneios.
Me encontro só.
Paralisada pela sua beleza
Engessada pela sua gentileza
Aglutinada à intenção de te interpretar,
Num tropeço implacável com vírgulas e interrogações.
(Carmen Eugenio)

Comentários

  1. Coisa linda esse poema!

    Amando por demais seu lado poético!

    Me encontro só.
    Paralisada pela sua beleza
    Engessada pela sua gentileza
    Aglutinada à intenção de te interpretar,
    Num tropeço implacável com vírgulas e interrogações.

    E é exatamente assim...

    Na solidão...

    Que encontramos os ritmos e sons

    Entoados por versos nos acordes do violão...

    Achando as notas que invade o coração

    Nos fazendo sonhar e amar os devaneios

    Sentidos e vividos,pura emoção.

    Beijos

    Com carinho!

    ResponderExcluir
  2. Querida Sandra!!! Muito obrigada pela sua presença tão preciosa neste lugar e pelos comentários tão importantes para mim!!! Beijos!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Seu comentário é valioso para mim.
Muito obrigada!

Postagens mais visitadas