BALADA PARA UM FILHO ADOLESCENTE

(Esse poema me marcou muito, pois o declamei quando tinha 14 anos, em um concurso no meu colégio, na Vila Mariana, em São Paulo, e fiquei em 1° lugar. Muitas mães choraram no auditório, de emoção.
Hoje, esse blog é de uma mãe...
Na época, o encontrei em um livro de poesias, de autoria de um amigo do meu pai, que era Deputado Federal em São Paulo, Gióia Junior.
No dia da apresentação, meu pai convidou o próprio Gióia Junior, para ver a minha declamação.
Ele gostou e a partir de então, me convidou para representá-lo em vários eventos culturais em São Paulo, onde eu declamava essa poesia. Imagina, eu uma menina de 14 anos, representando um Deputado Federal!!
Marcou minha vida e jamais esquecerei essa grande pessoa, grande poeta e escritor que aprendi, desde cedo, a respeitar e admirar.
E também, jamais esquecerei, o quanto fui incentivada pelos meus pais, a participar de eventos culturais na escola, onde aprendi a tocar violão aos 7 anos de idade!!!)

BALADA PARA UM FILHO ADOLESCENTE

Ei, cara! Cabeludo, espadaúdo,
sorriso claro iluminando a minha vida,  
braços compridos, abraçando o mundo,
pés enormes, desafiando caminhos.
Olhos arregalados para o dia que passa; como eu te quero!
Apesar do emburramento,
quando as suas vontades são contrariadas,
apesar da visita diária às minhas gavetas, escolhendo as meias minhas,
camisas minhas, lenços meus,
apesar de eu não encontrar nunca em meu armário
o talco, o desodorante, o aparelho de barbear,
porque foram sequestrados
COMO EU TE QUERO CARA!
Te quero na segunda e na terceira pessoa,
sem preocupação de misturas de pronomes.
TE QUERO PRA VALER.
Quando você deixou um dia a cama vazia,
pra fazer a 'cabeça',
pra se fazer de homem, pra curtir a praia, a garota, o som,
Você não sabe o que nós sofremos ...
VOCÊ SABE SIM,
porque você também sofreu quando teve aquela catapora violenta,
que dava a impressão de varíola.
Quando você teve aquela dor de cabeça que nos preocupou.
Você não calcula o quanto foi difícil suportar, enfrentar, confiar...
Ei cara, que história é essa de crescer mais que o pai?
Que história é essa de ficar mais tempo nas ruas com as 'minas',
com a 'eleita',
com a 'preciosa',
com a companheirinha de sonhos audaciosos!
Ei, cara! Que história é essa de fazer 16 anos e mostrar ao pai e a mãe que é tempo de arribação,
de vôo solitário, de autonomia de vôo.
CHEGA AQUI, FILHO,
toma um beijo na cara onde a barba desponta e é logo raspada.
Afasta dos olhos esse cabelo todo
e veja o que os meus olhos dizem:
"Deus te dê vida longa,
Deus te livre do veneno do ódio,
do veneno das drogas,
do veneno do ócio,
do veneno da inveja,
do veneno dos fanatismos,
do veneno da angustia.
Deus te guarde,
e o teu tempo na terra se multiplique,
para que o meu coração tenha alegria e a minha vida,
enfim,
se justifique."

 Gióia Júnior
Livro: Poesias Completas



BIOGRAFIA DE GIÓIA JÚNIOR PARA O MUSEU DA TELEVISÃO BRASILEIRA

Gióia Junior foi um dos maiores nomes do nosso rádio e da nossa televisão.Rafael Gióia Junior nasceu na cidade de Campinas, interior de São Paulo, no dia 9 de agosto de 1931.Começou sua carreira em 1945,em Mato Grosso, na P.R.I.7,Rádio Difusora de Campo Grande. Em 1949, Gióia Junior transferiu-se para São Paulo, indo trabalhar na Rádio Cultura, e em 1956, foi para a O.V.C. Na Rádio Nacional, Gióia ficou sendo assistente de Walter Forster, então diretor artístico. Seis meses depois passou a trabalhar na TV Paulista, levado pelo diretor geral Dermival Costalima. Produziu as principais temporadas internacionais, com artistas de renome, como: Danny Dauberson, Edith Piaf, Quarteto Avilez e outros. Produziu depois vários programas "Philco em 3 Dimensões". Um deles foi sobre o XI de Agosto,tendo sido a primeira vez que uma emissora de televisão entrou na Faculdade do Largo São Francisco. O outro, que se chamou;"O Principe", foi sobre o poeta Guilherme de Almeida. Em ambas as vezes, Gióia ganhou prêmio da crítica.
Gióia Junior ligou-se à política, tendo sido vereador de 1964 a 1967. Foi duas vezes deputado estadual, tendo sido presidente da Assembléia Legislativa de São Paulo, e foi ainda três vezes deputado federal. Foi o primeiro presidente do Sindicato dos Radialistas de São Paulo e professor de Jornalismo da Faculdade Cásper Líbero. Foi diácono da Igreja Batista, pois era muito ligado ao evangelismo brasileiro e se dedicou bastante à literatura cristã.
Gióia Junior escreveu 20 livros de poesia, entre os quais:"Cântico Novo";"Menino Pobre"; "Aparecem As Flores na Terra"; "Estátuas de Sal"; "Canto Maior"; "Bem -Me-Quer";"Jesus,Alegria dos Homens";"Minha Gênese" e muitos outros são seus poemas, sempre citados pelos próprios colegas escritores. Duas de suas letras foram musicadas por Sérgio Reis:"A Gangorra"e "Pé de Cedro". Gióia teve programas na Rádio Gospel e também participou do programa jornalístico:"Aqui Agora", do SBT.
Gióia Junior se formou em direito e em jornalismo, em São Paulo.
Ele foi casado com dona Dinorah e eles tiveram sete filhos: Rafael,Rodrigo,Renata,Nilton,Ana Carolina, Rubens e Thiago.
Góia Junior dá nome a duas praças na cidade de São Paulo: uma na Vila Prudente e outra no Itaim Bibi.
O grande radialista, jornalista,advogado e político faleceu em 3 de março de 1996. Estava com 64 anos de idade.

Comentários

Postagens mais visitadas