27 de outubro de 2010

Meditação e Crianças

Meus aluninhos, meditando ao final da aula de artes.


Desligar-se por alguns minutos dos assuntos do dia-a-dia tem efeitos físicos e psíquicos comprovados por estudos. A meditação promove a liberação de endorfina (neuro-hormônio que produz sensação de bem-estar e diminui a produção de adrenalina (que, nas crianças, sempre é alta) e cortisol (hormônio ligado ao estresse).
Com o objetivo de ensinar às crianças a prática contemplativa, de conhecer os benefícios do silêncio, de encontrar-se consigo mesmo, com seu Eu, estimular a imaginação, alcançar pensamentos positivos, otimizar a auto-estima, para melhor enfrentar seus conflitos, orientei meus aluninhos como meditar ao final das atividades nas aulas de artes.
Eles adoraram, até porque, crianças apreciam novidades e também são atingidas pelo estresse do cotidiano.
Fiquei surpresa quando o primeiro aluno, Vitor com sete anos de idade, sentou-se sozinho, em posição de lótus. A partir daí, os outros foram acompanhando e a sala de aula, geralmente barulhenta, tornou-se um verdadeiro templo de paz! Que maravilha! Para mim e para eles!
Comecei a desenvolver a meditação essa semana, nos minutos finais da aula, quando as crianças terminam as atividades propostas.
No início, ficamos em absoluto silêncio. Pedi que fechassem os olhos e respirassem profundamente.
Depois, comecei a contar-lhes uma história , como nas oficinas de teatro, em que começamos a nos imaginar no lugar descrito.
Disse a eles, que se imaginassem andando pela areia fofa da praia. Depois, apreciando as ondas do mar...
As crianças puderam relaxar e desligar os pensamentos. A seguir, imaginaram-se dentro da narrativa.
“Quando aplicada corretamente, a meditação ensina a criança a ter autocontrole, diz a psicóloga norte americana Deborah Rozman, autora de ‘Meditação para Crianças’. Segundo ela, estudos comprovaram que a meditação ajuda pequenos muito inquietos a controlar o temperamento. Crianças arteiras ou hiperativas têm mais dificuldade de meditar, mas são extremamente beneficiadas quando conseguem, completa Márcia de Luca, fundadora do Centro Integrado de Yoga, Meditação e Ayurveda (Ciyma), de São Paulo.

...Enfim, serenidade já!

                                 

26 de outubro de 2010

Despedida - Rita Lee


"Pra que Sofrer com despedida?
Se quem parte não leva,
Nem o sol, nem as trevas
E quem fica não se esquece tudo o que sonhou
Eu sei

Tudo é tão simples que cabe Num cartão postal
... E se a história é de amor
Não acaba tão mal."

25 de outubro de 2010

Endorfinas, Magrela e Eu

(Pintura de Fernando Campos)

Eu amo andar de bicicleta!
Domingo, às sete horas, comecei a andar de bicicleta pelo meu bairro.
Que sensação de liberdade maravilhosa!
Que bom respirar ar puro...
Ruas, calçadas, árvores, poucas pessoas ...
Senti uma explosão de endorfinas..
As endorfinas são substâncias naturais produzidas pelo cérebro, geralmente, quando pratica-se alguma atividade física.
A produção de endorfinas, relaxa, preserva-nos da dor, e aumenta a sensação de prazer, disposição física e psíquica, proporcionando uma sensação de euforia e bem estar.
Também melhora nossa resistência, pois estímula o sistema imunológico.
Além disso, seus efeitos permanecem por algum tempo depois que termina-se a atividade física.
Consequentemente,  melhora o humor e reduz o estresse.
Uma sensação de felicidade mesmo!
Agora vem o feriado, não vou viajar pois, naturalmente, vou votar para Presidente da nossa República.
Quero andar de bicicleta todos os dias.
Alguém se anima?

18 de outubro de 2010

Querida Taty!!!

Comentário que escrevi no texto "Versos, exagerados versos..."
do Blog da minha amiga Tatiana Kielberman  >>>  http://bit.ly/cP3Q87

Querida Taty!!!

Amores, paixões!!!
O amor é calmo. As paixões é que nos enlouquecem!!!
Mas você não imagina quantas saudades sentimos, quando elas se vão...
Quando eu ia querer decifrar suas palavras, você mesmo o fez, ao final.
Não existe cura e sempre estamos emaranhados em algum doce delírio!!!! E se a cura existe, não sei se a queremos.
Essa, talvez, seja a febre que esquenta os dias de nossa vida!!!
Respire fundo, observe!
Vá ao cinema e assista 'Comer, Rezar, Amar'. (Com Julia Roberts e aii.... > Javier Bardem....)
Às vezes precisamos dar um tempo e nos reencontrar.
 Ou nos encontrar pela primeira vez!
Provavelmente, este seja o significado do famigerado 'Equilíbrio' !!!
E essa é uma estrada paralela,
que percorremos sempre que o caminho torna-se sinuoso...
Estradas alternativas, 'pit stop', pausas, recuos, cartas na manga, plano B,C,D...;
vale tudo para encarar essa aventura que é a VIDA!!
Adorei tudo!! Como sempre!!

17 de outubro de 2010

Até 24 de Outubro,em SP, Exposição "As Cores da Resistência"



Elaborada com suas armas - o lápis, a caneta e o pincel a exposição de Elifas Andreato - As Cores da Resistência conta com cerca de 100 trabalhos, entre capas de discos, cartazes de peças teatrais, fotos de cenários, e semanários. A mostra evidência a importância da arte de Elifas Andreato como instrumento de resistência política durante a ditadura militar. Visual e com farta iconografia, a exposição mostra aspectos da vida e obra de Elifas Andreato, com foco na resistência à ditadura militar, no local onde ele mesmo fôra preso-o antigo deops, que transformou-se no Memorial da Resistência.
Entre os trabalhos realizados nesse período estão: o cartaz para a peça de teatro Mortos sem sepultura, de Jean Paul-Sartre, e a capa do disco Nervos de Aço, de Paulinho da Viola, além de edições de jornais e revistas conhecidos pela oposição ao regime militar.
Elifas participou ativamente da resistência, ocupando a mesma trincheira onde toda a vanguarda brasileira combatia, junto aos talentos mais expressivos das variadas manifestações do pensamento. "Elifas foi, e continua sendo, um resistente. Resistiu nos anos de chumbo contra a ditadura, e resiste ainda hoje contra a "lógica de mercado", editando e publicando mensalmente, há 11 anos, com enorme sacrifício, o Almanaque Brasil, na defesa da arte, história e cultura brasileiras", afirma o curador da mostra José Carlos Bruno.

A Exposição vai até 24 de Outubro, de Terça a domingo, das 10h às 17h30
Memorial da Resistência - Museu Pinacoteca de São Paulo
Lgo. Gen. Osório, 66 (Luz)
Tel: (11) 3335-4990
Ingressos: Grátis

14 de outubro de 2010

Busque, ouse e conquiste-se

(Carmo Soá)
Ser sozinha no século XXI é mais uma opção pessoal do que a falta da mesma. Muitas mulheres atualmente fazem esse tipo de escolha. Principalmente, quando descobrem que não precisam trocar de mantenedor ou protetor após saírem da casa dos pais ou se divorciarem ou mesmo quando ficam viúvas. A mulher de hoje, muito mais facilmente percebe que pode estar no comando de sua própria vida.

O estar só, dentro deste contexto, pode significar um momento de entressafra onde a mulher, por opção, pode decidir se quer ou não ter um parceiro. A diferença brutal de antigamente para os dias atuais é que a mulher bem resolvida sabe que não necessita de um homem a tiracolo para ter um lugar no mundo. Ela mesma pode e faz o seu lugar, bem como seu status social. O mundo, agora, principalmente nas grandes metrópoles, não mais instiga, como antes, que a mulher seja submissa ou que tenha que depender de um homem para sustentá-la.

8 de outubro de 2010

Invictus - William Henley


Por ser estreita a senda – eu não declino,
Nem por pesada a mão que o mundo espalma;
Eu sou dono e senhor de meu destino;
Eu sou o comandante de minha alma.
( Invictus - William Henley)

5 de outubro de 2010

(Arte Impressionista)
Quando se ama,
Um nada, fica muito.
Tudo é demais .
Tudo torna-se superlativo.
Ser conciso, é impossível.
Ser preciso, é desperdício.
O insondável 
se apodera
te permeia
e te seduz.
O amor sem métrica.
Imensurável.
Imprevisível.
Um 'Não Sei'.
Ou sei - Luz.

4 de outubro de 2010

Gosto das tempestades!
São delas que me lembro,
tenho saudades...
Foram elas que mexeram comigo,
me tiraram da zona de conforto,
me obrigaram a amadurecer, a modificar, a ser mais forte..
A tormenta te obriga à atitudes.
Então, estou sempre me atirando! De cabeça!
Não tive tempo, ainda, para pensar se dói.
Não sei se quero pensar em dor ou atravessá-la...
Não sei se quero me esquivar do vento forte ou voar à deriva...
Meu verbo é IR.
Vou indo...
e sempre...
E vou...

                                                     (Carmen Eugenio)
Do amor, quero a clarividência para enxergar o que meus olhos não alcançam."


2 de outubro de 2010

Acelerada


Sempre igual:
Quando te vejo
Acontece formigamento mental
Meu coração acelera
Desanda
Derrete
Se é para escolher
Escolho o que não posso dizer
E seu beijo
Esparrama por todos os meus cantos
Ensejo dissoluto
Devaneio, encanto.

1 de outubro de 2010

"Quero ver o mundo com aquarela de sonhos, sem tantas certezas, mas confiando no colorido da paleta que seguro em minhas mãos".

Carmen Eugenio



(Parte de um texto que escrevi em março de 2010)

O Mundo é seguro.

Talvez essa seja a principal competência e desafio:  olhar o mundo com afeto,  respeito, compaixão ,  suavidade.   Somente dessa fo...